Coeur de Lion Magazine

Le Corbusier: Five Points of New Architecture

Posted in Architecture by Coeur de Lion Magazine on 14/04/2009
Le Corbusier

Le Corbusier.

Charles-Édouard Jeanneret-Grise, mais conhecido como Le Corbusier, foi um arquiteto, urbanista, designer, escritor e também pintor suíço. Ele integra o leque dos principais arquitetos do século 20, junto com Frank Lloyd Wright, Alvar Aalto, Mies van der Rohe e o brasileiro Oscar Niemeyer. Morreu em 1965 aos 78 anos de idade.

Charles-Édouard tornou-se cidadão Francês aos 30 anos e foi pioneiro em estudos em design avançado para melhorias nas condições de moradias em cidades superlotadas. Suas construções se expandem desde a Europa Cental, India, Russia, America do Sul e do Norte, onde se destacou também por ser um exímio planejador urbanista, escultor e moderno designer de mobílias.

Le Corbusier estudou em Budapeste e em Paris; formou-se na La-Chaux-de-Fonds Art School e seu professor de arquitetura foi René Chapallaz, que provocou grande influencia nas primeiras casas construídas pelo arquiteto. Em 1907, viajou para Paris, onde começou a trabalhar no escritório de Auguste Perret, pioneiro no uso do concreto armado. Três a quatro anos depois trabalhou próximo a Berlin para o renomado arquiteto Peter Behrens, quando conheceu Mies van der Rohe and Walter Gropius.Le Corbusier LC2 Lounge DoubleLe Corbusier LC2 Chair

De 1914 a 1915, Corbusier projetou a Dom-ino House, resultado da aplicação de modernas técnicas através de estudos teóricos do arquiteto, desenvolvidas em sua volta para a Suíça durante o cessar da Primeira Guerra Mundial. Na mesma época conheceu o artista Cubista Amédée Ozenfant, que encorajou o arquiteto a praticar a arte da pintura. Em 1920, adaptou o pseudônimo Le Corbusier, em homenagem ao seu avô “Lecorbésier“.

Em 1923, escreveu uma de suas principais obras literárias “Vers une architecture”, fruto de sua viagem pela Grécia e Turquia.

Centro Le Corbusier em Zürich-Seefeld - Heidi Weber Museum

Centro Le Corbusier em Zürich-Seefeld.

Entre 1922 e 1927, juntamente com seu primo e sócio Pierre Jeanneret projetaram muitas das casas privadas de clientes em Paris, como a Villa Lipschitz, Villa Savoye, Maison Cook, Maison Planeix, Maison La Roche, entre outras.

Le Corbusier - The Open Hand Monument (O Munumento da Mão Aberta) em Chandigarh, India

The Open Hand Monument (O Munumento da Mão Aberta) em Chandigarh, India.

Le Corbusier -  National Museum of Western Art em Tokyo, Japan

National Museum of Western Art em Tóquio.

Em 27 de agosto de 1965, Charles foi banhar-se no Oceano Mediterrâneo, em Roquebrune-Cap-Martin na França. Vítima de afogamento, seu corpo foi encontrado por banhistas nas primeiras horas da manhã daquele dia. Após sua morte, várias importantes personalidades mundiais expressaram suas condolências, como Salvador Dali e o então Presidente dos Estados Unidos Lyndon B. Jhonson, que disse: “His influence was universal and his works are invested with a permanent quality possessed by those of very few artists in our history“.

Outra grande conquista de Le Corbusier foram os Cinco Pontos da Nova Arquitetura, que são o resultado de pesquisas em parceria com seu primo Pierre Jeanneret, com o qual trabalhou durante grande parte de sua vida. A conclusão do trabalho foi publicado em 1926 na revista francesa L’Esprit Nouveau. Alguns dos pontos estudados aparecem anteriormente a pesquisa na Casa Cook, contudo, é na Villa Garches e na Villa Savoye que os elementos são utilizados de forma mais expressiva:

1. Planta Livre: através de uma estrutura independente, permite a livre locação das paredes, já que estas não exercem mais a função estrutural;
2. Fachada Livre: igual à independência da estrutura, a fachada pode ser projetada sem impedimentos;
3. Pilotis: pilares que elevam o prédio do chão, que permitem o transito por debaixo do mesmo;
4. Terraço Jardim: recuperação do espaço ocupado pela edificação, transferindo-o para cima do prédio na forma de jardim;
5. Janelas em Banda: possibilita pela fachada livre permitem uma relação desimpedida com a paisagem.

Le Corbusier - Villa Savoye

Villa Savoye: um dos marcos de Le Corbusier.

O sucesso dos cinco pontos foi tão grande, que mais tarde se tornariam cânones da arquitetura moderna. No Brasil, o prédio do Ministério da Educação e Saúde Pública, de Lucio Costa e Oscar Niemeyer (sob consultoria de Le Corbusier), utiliza integralmente os cinco pontos arquitetônicos.

Anúncios

Mies van der Rohe Modernes Genie

Posted in Architecture by Coeur de Lion Magazine on 13/04/2009
Mies van der Rohe Farnsworth House

Farnsworth House: um dos marcos da obra de Mies e referência da arquitetura moderna.

Ludwig Mies van der Rohe, mais conhecido como Mies Van Der Rohe é um dos principais nomes da arquitetura do século 20. Alemão naturalizado estado-unidense, foi professor na estimada Bauhaus e um dos formadores do movimento International Style, marcado por sua clareza e simplicidade. Aço e vidro foram seus principais materiais representativos, que agregaram concepções de elegância e cosmopolitismo. Famoso também pelo uso dos célebres aforismos: Less is More (Menos é Mais), preceito do minimalismo e God is in the Details (Deus está nos detalhes).

Mies van der Rohe Seagrambuilding

Edifício Seagram.

Mies van der Rohe Conjunto Lake Shore Drive

Conjunto Lake Shore Drive em Chicago.

Mies van der Rohe Crown Hall

Complexo Crown Hall do Instituto de Illinois.

Em 1908, Mies ingressou no estúdio do proto-modernista Peter Behrens, do qual se tornou discípulo. Seu talento foi rapidamente reconhecido e começou a receber encomendas, mesmo não sendo graduado. Com uma presença física impressionante e com modos ponderados, Ludwing Mies resolveu reformular seu próprio nome, para adequar-se a alta sociedade que passara a ingressar, passou então a acrescentar “van der Rohe“, de ressonância aristocrática.

Formou-se arquiteto em 1917 e, influenciado pelo mestre do neoclassicismo prussiano do início do século 19, Karl Friedrich Schinkel, depois da Primeira Guerra Mundial, começa a receber influências do neoplasticismo e do construtivismo russo, que fazem germinar o espírito modernista no arquiteto. Influenciado também por Frank Lloyd Wright, com os espaços fluidos do próprio estilo presente nas suas Casas da Pradaria.

Mies van der Rohe Casa de Mies

Residência de Mies.

Em 1921, abandonando qualquer ornamentação, projetou um impressionante arranha-céu de vidro e metal, que fez parte de uma série de projetos pioneiros que culminaram no Pavilhão Alemão de Barcelona e na Villa Tugendhat em Brno (um de seus marcos). Em 1937 Mies deixou sua pátria e foi para os Estados Unidos, depois de 30 anos de prática na Alemanha. Em 47 teve uma retrospectiva de sua carreira pelo Museu de Arte Moderna de Nova York, três anos depois de ser nomeado cidadão americano, quando rompeu laços com sua terra natal.

Mies van der Rohe Villa Tugendhat

Villa Tugendhat em Brno.

Dentre suas várias realizações, pode-se citar a residência de Wyoming, também a passagem como professor do Illinois Institute of Technology, a construção do Crown Hall, sede do Departamento de Arquitetura do instituto. Também a Casa Farnsworth, marco entre suas obras e referência da arquitetura moderna mundial. Além do Edifício Seagram e o Conjunto Lake Shore Drive em Chicago.

São inúmeros os trabalhos de Mies van Der Rohe, onde todos são considerados referências do modernismo na arquitetura, além da alta classe e beleza. Se você é estudante de arquitetura como eu ou pretende se tornar um, este ícone da área será bastante explorado por seus professores (principalmente os de projeto) e certamente se tornará uma paixão para vocês, assim como se tronou pra mim.

Mies van der Rohe Pavilhão Alemão de Barcelona

Pavilhão Alemão de Barcelona.